sexta-feira, 16 de outubro de 2015

A" MELHOR IDADE" CHEGOU PRA VOCÊ?

A “melhor idade” chegou, se:

Estes são os maiores sinais de que a meia-idade passou e a melhor idade chegou:
·        Você prefere dormir em uma cama de casal, só pra você?
·        Passa a maior parte da noite em claro e cochila o dia inteiro?
·        Só consegue descansar se dormir na sua casa?
·        Adora cochilar no meio das conversas dos familiares, quando sente-se mais seguro(a)?
·        Põe tampão nos ouvidos e toma um tarja preta quando a festa dos vizinhos está barulhenta, ao invés de chamar a polícia e aborrecer-se, além de arriscar-se a uma represália?
·        Há só comida saudável, sem lactose e sem açúcar na sua geladeira?
·        Prefere pedir comida em casa ao invés de ir pessoalmente aos restaurantes?
·        Come pra viver e não por ter fome?
·        Seus ossos avisam quando vai chover?
·        Você vai na farmácia com uma lista maior que a do supermercado?
·        Abre o jornal na sessão de necrologia todo dia para ver se algum conhecido está nela?
·        Está de férias o ano inteiro e não tem vontade, nem dinheiro para usufruí-la?
·        A sua aposentadoria não chega na metade do mês?
·        Escolhe roupas confortáveis ao invés das elegantes que preferia?
·        Sua melhor companhia diária é o computador onde se divide nas redes sociais e joguinhos grátis?
·        Ninguém mais sabe tocar a sua música favorita?
·        Libido? O que é isso?
·        Sua motivação de vida: filhos e netos?

É evidente de que hoje, muitos daqueles nessa chamada “melhor idade”, tem uma vida diferente, participam de grupos e viajam, se exercitam, dançam!
Para que isso seja possível é necessário haver uma programação financeira, lá no início da “meia idade”!
Da mesma forma deve-se cultivar hábitos alimentares saudáveis desde o início de sua vida adulta.
Aí, chego à conclusão que a vida é um jogo de risco...
Podemos viver de uma maneira regrada e programada em tudo e de repente, por algum motivo, não alcançamos a velhice! Valeu a pena nos privarmos de saborearmos um prato que adoramos comer, porque é calórico demais? E de bancarmos uma viagem dispendiosa junto com toda a família?
Devemos então, abusar do "inabusável" e sofrermos as consequências após os 60 anos?
É claro que me refiro a nós, cidadãos medianos e não aos poderosos que podem gastar sem pensar e servir-se dos melhores médicos e hospitais.
Viver e gozar a vida, ou viver sem ter prazer!
Ah, se quando jovens soubessemos que em tudo há o equilíbrio...
Viver gozando a vida, mas programando o futuro é o ideal, sem dúvida.
Se a vida for curta, pelo menos aproveitou-a.
Se a vida for longa, além de aproveitá-la, terá uma velhice digna!
Isso não é caretice, é sabedoria!
Carolina Ferreira  
Sorocaba/SP - 16/10/2015.