segunda-feira, 4 de março de 2013

"MINHA PRIVACIDADE FOI INVADIDA"

Neste domingo 03/03/2013,
tive minha privacidade literalmente invadida!!!

Sou virginiana e gosto de organização, mas...

Gosto também de guardar fotos e bilhetes antigos, velhos documentos e recibos, roupas e móveis antigos... Vá que...

Acontece que estou incapacitada de fazer esforços físicos há mais de 08 anos e nesse período perdi minha avó e minha mãe e seus objetos vieram para minha casa...

Como trabalhei fora a maior parte da minha vida, essas arrumações eram sempre feitas pela minha filha e pelas pessoas que trabalhavam em minha casa, principalmente porque preferia não ver o que ia ser jogado fora, só pedia que separassem o que estava em bom estado para ser doado.

Tive uma empregada que trabalhou comigo por 25 anos, outra por 14 anos e que eram de minha total confiança, já eram mesmo parte da minha família.
Quando era hora de faxina dos armários, ou mudança de residência minha filha sempre auxiliava.

Embora a minha vida tenha se acalmado com a aposentadoria, a vida dos meus filhos e de suas famílias, graças a Deus, seguiram seus cursos normais de muitas responsabilidades, afazeres e compromissos e minhas “tralhas” foram se acumulando e meus móveis envelhecendo como eu...

Hoje, meus filhos (por ordem de idade: minha filha Maria Carolina, meu filho José Alexandre e minha nora filha Renata e como coadjuvante meu neto Felipe, invadiram literalmente minha privacidade)... (risos, muitos risos...).

A última empregada que tive por dois anos morava comigo e tinha dois filhos. Seu filho caçula tinha o dom de quebrar tudo, como o piso do meu quintal, o azulejo da parede, o espelho do armário, a treliche em que dormiam, etc, etc...

Os meus ”invasores do bem” começaram por esse quarto e desmontaram os móveis, mas aí decidiram arrumar os armários dos quartos e banheiros, além do meu escritório e lá foi meu filho munido de sua caixa de ferramentas, desmontar um armário e consertar o outro...


Aí foi montado um cenário de mudança, onde temos que nos despedir de objetos com velhas lembranças...


Minhas 03 netinhas menores fizeram a festa com os “tesouros” encontrados...

Minhas fotos, recadinhos e filmes familiares foram respeitados e devidamente guardados e organizados...

Os meus documentos, os da minha avó e os da minha mãe foram separados em dois arquivos, os guardados em pastas e os enviados para o lixo, em meio aos reclamos do meu “idoso” filho caçula, que não se conforma com meus “tantos guardados”... 

Ainda bem que eles fizeram essa “limpeza” enquanto estou viva, porque já pensou como minha alma ficaria abalada com essa total invasão aos meus pertences e aos meus “segredos”?


Este dia em família foi peculiar, mas como sempre, muito íntimo...

Sempre procurei ter uma relação franca e amorosa com meus filhos, embora nunca tenha aberto mão da hierarquia que existe entre pais e filhos.

Restou em mim um misto de saudades e desprendimento.

Minha casa ficou dez sacos de 100 litros “de lixo” e dois móveis mais leve...

E eu fiquei com a sensação de ter criado meus filhos com amor e cuidados que eles e suas famílias retribuem em dobro para mim!

No dia de descanso e lazer deles, meus “doutores” tiveram um tremendo serviço braçal demonstrando seus carinhos e dedicação a esta mãe e avó “cansada de guerra”.



Obrigada meus amores, por serem quem são! Vocês são as bênçãos de Deus na minha vida, amo vocês como sempre e para sempre.

Carolina Ferreira