quinta-feira, 25 de agosto de 2011

*UM DOS MEUS MAIS TRISTES PRESENTES DE ANIVERSÁRIO !!!*

UM DOS MEUS MAIS TRISTES PRESENTES DE ANIVERSÁRIO !!!

Aos que conhecem, talvez estes fatos já tenham se tornado mais uma difícil e cansativa história...
Aos que não sabem, é com a alma sangrando que digo que sou mais uma mãe que perdeu seu filho de 27 anos morto violentamente por dois assassinos, a golpes de “intrumento perfurante” e várias correntadas com uma trave de carro...
Digo instrumento perfurante, porque esses monstros admitiram judicialmente terem fugido do local levando consigo e jogando em um matagal a arma do crime (que nunca apareceu), bem como os documentos do meu filho, José Geraldo Ferreira Filho que entregaram na Delegacia onde compareceram algumas horas depois, já com advogados para se livrarem do flagrante, deixando-o moribundo jogado no asfalto, como provaram as testemunhas que o socorreram.

Esse fato ocorreu em 01/02/1997, portanto há mais de quatorze anos atrás.
Cristian Marcos Toledo de Campos, que fez as duas perfurações ( a primeira já tinha atravessado seu coração e a segunda foi dada  em seu abdome com meu filho já caído) e Rafael Rodrigo Ramos, faziam parte de uma “gangue de filhinhos de papai viciados em drogas” que se auto-denominavam “A gangue de Gonelândia”, estavam acostumados a provocarem brigas em bares e casas noturnas, chegando a desfigurarem um rapaz com uma garrafa de cerveja quebrada, mas sempre saiam impunes e continuaram réus primários, pois além das ameaças que faziam as suas vítimas, possuíam as costas resguardadas pelo pai do líder da gangue que era desembargador e cujo filho já havia sido culpado em um outro crime.
Apesar da influência desse senhor, o inquérito correu normalmente, com os réus soltos, porque eles não contavam com a força do desespero desta mãe advogada  e com a competência da delegada e foram indiciados por homicídio doloso triplamente qualificado.

Posteriormente foram "denunciados" pelo Ministério Público e "pronunciados pelo Juiz para irem a Júri Popular.

Eles evidentemente recorreram e o recurso que deveria durar, no máximo até 04 anos para ser julgado e retornado a Comarca de origem, demorou quase sete anos para voltar a Sorocaba.
Embora fosse rejeitado, devendo apenas ser marcada a data do Júri, toda vez que eu procurava saber onde estava esse processo, o cartório me informava que estava “Concluso” (para aqueles que não tem obrigação de saber o significado desse procedimento: estar “Concluso”, neste caso, equivalia ao processo estar à disposição do Juiz para que ele, apenas marcasse a data do julgamento), até que quando pouco antes de completar “10 anos” que meu filho foi assassinado, entrei na sala do Juiz e pedi para saber o que estava dificultando a sua entrada na pauta do Júri, foi quando descobri que o processo era literalmente o último a esquerda abaixo de uma pilha enorme de outros.
Foi aí que recorri ao Presidente da OAB de Sorocaba, a imprensa local e aos meu queridos amigos, como segue abaixo:

MÃE ADVOGADA CLAMA POR JUSTIÇA!!!
SAUDADES DE JOSÉ GERALDO FERREIRA FILHO
“10 anos sem você meu filho”
Dia 01.02.2007 faz 10 anos que você foi assassinado! 3.650 dias!
Se você me visse não me reconheceria, pois sou uma sombra do que eu era quando você se foi...
Ando de muletas, pois os pesos das SAUDADES, da TRISTEZA e da INJUSTIÇA tornaram-se impossíveis de carregar sozinha...
SAUDADES do seu riso franco, dos seus carinhos, da “música que a chave fazia na fechadura anunciando a sua chegada” e do: “Oi mãe, tudo bem? Acordada ainda?”...
TRISTEZA porque você deixou de ver tanta coisa... A formatura de sua irmã e de seu irmão em Direito, seus sobrinhos crescendo, outros nascendo! O casamento do seu irmão caçula! Você não vai estar fisicamente ao nosso lado para se emocionar, limpando disfarçadamente as lágrimas como fez no casamento de sua irmã...
INJUSTIÇA porque seus assassinos ainda não foram julgados, apesar de denunciados e pronunciados para irem a júri por assassinato triplamente qualificado há mais de 06 anos! Aquele que lhe matou com duas facadas também feriu, juntamente com o mesmo cúmplice, o próprio irmão e ficou apenas uma semana na cadeia por isso! Ainda foi preso em flagrante por tráfico de drogas e menos de um mês depois foi solto novamente!

CRUZEIRO DO SUL - Sorocaba, bado, 06 de agosto de 2005
Pizzaria era ponto de tráfico
Policiais militares apreenderam crack, cocaína e maconha numa pizzaria localizada na rua Santa Clara, número 46, no centro, por  volta da meia-noite de quinta-feira.

O dono da pízzaría, Cristian Marcos Toledo de Campos, de 29 anos, foi 'Preso em flagrante acusado de trá­fico. O local seria usado como pon­lio de dístríbção de drogas.

:: A guarnição do tenente Agrella, cabo Edmundo e soldado Marcos, da Força Tática, verificou uma de­núncia anônima e encontrou den­tro do estabelecimento oito papelo­tes de cocaína, quatro pedras de erack e um tablete de 150 gramas de maconha. Cristian tinha ainda R$ 220 escondidos na cueca.


Drio de Sorocaba, sábado, 6 de agosto de 2005

Pizzaria traficava entorpecentes
Averiguando denúncia anônima informando que, em uma pizzaria, na rua Santa Clara, no Centro, estaria ocorrendo tráfico de drogas, policiais militares fizeram vistoria no local.
Eles encontraram diversas porções de cocaína, "crack" e 1 tijolo de maconha. Segundo a polícia, a droga estava escondida num tubo de filme, em uma lixeira, pronta para a comercialização.
Perguntado sobre os entorpecentes, Cristiam Marcus Toledo de Campos, 29 anos, proprietário do comércio, assu­miu ser dono do tijolo da ma­conha.
Ele disse que seria para seu uso. Quanto ao "crack" e a cocaína, alegou que não tinha conhecimento delas.


Esse processo correu na 4ª Vara Criminal de Sorocaba sob o nº1381/05 e foi desclassificado de tráfico para uso de entorpecentes.

Só por ter matado você, meu filho, é que ele não ficou preso nenhum dia!

As SAUDADES e a TRISTEZA não irão me abandonar até o meu último suspiro...
Mas a JUSTIÇA pode e deve ser feita!
Venho a público falar das minhas dores, porque assim talvez, a classe judiciária tome alguma atitude contra a sua morosidade causadora de tanta impunidade neste país!
Quero voltar a sentir orgulho de ter escolhido ser advogada no Brasil!
Rogo a todos que amaram meu filho (e sei que foram muitos), que me ajudem e se unam a mim para que, ao menos, o crime contra o meu filho seja JULGADO ANTES QUE PRESCREVA!
Meus mais profundos agradecimentos para aqueles que se sensibilizarem com a minha dor. 
Dra. Carolina Ferreira.

Finalmente, minhas súplicas foram ouvidas e marcaram o julgamento para 16 de agosto de 2007!!!

AGRADECIMENTO
É MUITO BOM PODER DIZER:
VENCEMOS MAIS UMA LONGA E DOLOROSA BATALHA!
GRAÇAS A DEUS E A PESSOAS MARAVILHOSAS QUE SE PROPUSERAM, JUNTO COMIGO,
 A FAZER VALER O DIREITO QUE TODO SER HUMANO “DEVERIA” POSSUIR!
FOI MARCADO O JULGAMENTO DOS ASSASSINOS DO MEU FILHO!
DEPOIS DE PERMANECER “CONCLUSOS” POR DOIS LONGOS ANOS!
FINALMENTE, O JÚRI SERÁ NO DIA 16 DE AGOSTO DESTE ANO AINDA, ÀS 13:30 hrs!
AGRADEÇO ESPECIALMENTE  AO DR. ANTONIO CARLOS DELGADO LOPES, PRESIDENTE DA 24ª SUBSECÇÃO DA OAB – SOROCABA, QUE, COMO POUCOS, FAZ JUZ AO CARGO ELETIVO QUE EXERCE!
QUE DEUS ABENÇÕE, GUARDE E PROTEJA A ELE E A SUA FAMÍLIA!
EU E A MINHA FAMÍLIA LHE SEREMOS ETERNAMENTE GRATAS PELO SEU PRONTO ATENDIMENTO, AO MEU GRITO POR SOCORRO!
SEM A SUA INTERVENÇÃO, PROVAVELMENTE O PROCESSO DE “nº 158/98” DO TRIBUNAL DO JÚRI DE SOROCABA, DEMANDARIA MUITO MAIS ESFORÇOS E REFORÇOS PARA SAIR DAQUELE BANCO, LITERALMENTE À ESQUERDA E DEBAIXO DE TANTOS OUTROS, DA SALA DO PRESIDENTE DO MESMO TRIBUNAL...
ESPERO PODER CONTINUAR A CONTAR COM TODOS, QUE SE INDIGNAM COM AS INJUSTIÇAS DE CRIMES IMPUNES, COM A DESCRIMINAÇÃO DE QUALQUER TIPO E ORIGEM, PARA QUE ME AJUDEM A CAMINHAR ATÉ O FIM DESTE LETÍGIO!
DIANTE DE TANTOS HORRORES QUE CHEGAM AO NOSSO CONHECIMENTO, SEJA ATRAVÉS DA MÍDIA, OU DE OUVIRMOS FALAR OU ATÉ MESMO PRESENCIAR, O ASSASSINATO DO MEU FILHO AOS 27 ANOS PASSA A SER PARA MUITAS PESSOAS, PRINCIPALMENTE PARA AQUELES QUE TRABALHAM EM CARTÓRIOS E VARAS CRIMINAIS, APENAS MAIS UM CASO...
MAS PARA MIM E PARA MEUS FAMILIARES É A GRANDE TRAGÉDIA PESSOAL DE NOSSAS VIDAS...
DURANTE O INQUÉRITO, PRINCIPALMENTE NA RECONSTITUIÇÃO DO CRIME E DEPOIS NA FASE INICIAL DO PROCESSO, PASSEI PELA DOR ABSURDA DE TER QUE  PROVAR QUE MEU FILHO ASSASSINADO  “NÃO ERA CULPADO DE SUA PRÓPRIA MORTE”!
SEI QUE ESSE JULGAMENTO EXIGIRÁ DE MIM E DE MINHA FAMÍLIA MUITO EQUILÍBRIO EMOCIONAL...
MAS SEI QUE DEUS FARÁ COM QUE A VERDADE E A JUSTIÇA PREVALESÇA E É APENAS ISSO QUE EU BUSCO!
NADA TRARÁ MEU FILHO DE VOLTA AO CONVÍVIO DAQUELES QUE O AMAM...
MAS, SE MEU EMPENHO AJUDOU A DESMEMBRAR UMA “GANGUE DE FILHINHOS DE PAPAI”, QUE SABENDO-SE APADRINHADOS FERIAM, HUMILHAVAM, ULTRAJAVAM, DIPLOMANDO-SE COMO VILÕES IMPUNES, ORGULHOSOS DE SUA SUPOSTA SUPERIORIDADE, ENTÃO VALE A PENA CONTINUAR!
NÃO CONTAVAM ELES COM A FORÇA DO AMOR DE UMA SIMPLES MÃE, QUE, VIÚVA AOS 24 ANOS, CRIOU SOZINHA, SEUS TRÊS FILHOS, COM MUITO SACRIFÍCIO, DIGNIDADE E MUITA FÉ EM DEUS!
MUITAS PESSOAS SE CHOCAM QUANDO EU DIGO QUE APESAR DA DOR QUE ME ESMAGA,
PREFIRO TER MEU FILHO MORTO A SABÊ-LO ASSASSINO!
NÃO ME PERDOARIA GERAR E CRIAR UM SER COM CAPACIDADE DE CEIFAR A VIDA DE OUTREM COM TANTA CRUELDADE...
ESPERO DO FUNDO DO MEU CORAÇÃO, QUE ESSE JULGAMENTO AFASTE DA SOCIEDADE ESSAS PESSOAS QUE DESTROEM TUDO E TODOS A SUA VOLTA, ATÉ MESMO A PRÓPRIA FAMÍLIA!
TENHO MUITA PENA DESSAS POBRES MÃES!
OBRIGADA, MAIS UMA VEZ A TODOS, PELAS SUAS DEMONSTRAÇÕES GRATUITAS DE CARINHO, DE AMIZADE E DE CARÁTER.
DEUS LHES PAGUE E QUE JESUS ABENÇÕE E PROTEJA A TODOS NÓS!
CAROLINA FERREIRA.

O julgamento começou as 13:30 e só terminou as 4:30 da manhã seguinte!
O Promotor Dr. Eduardo Francisco dos Santos Júnior era apenas um contra 04 advogados de defesa, mas a sua capacidade e convicção de que lutava pela justiça o transformaram em um invencível representante do Ministério Público e eles, os assassinos foram finalmente condenados e saíram algemados e presos, pois como disse o Juiz Dr. José Eduardo Marcondes Machado na hora de ler a sentença, o crime que eles cometeram foi muito grave!


MÃE PÓS JULGAMENTO
MEUS AGRADECIMENTOS AOS QUERIDOS (AS)
Dr. Eduardo Francisco dos Santos Júnior, Membros do Júri, a mídia em geral, e principalmente o testemunho claro e sincero do (meu anjo) Ezequiel que além de socorrer meu filho, não se intimidou e nem se contradisse em momento algum de seu depoimento, porque    uma pessoa de bem jamais esquece os horrores que viu meu filho passar! Aos meus amigos que permaneceram comigo e com meus familiares naquelas longas horas até este final, onde os únicos alimentos eram a esperança da justiça ser feita e as bolachas levadas por um deles:
FAZ POUCO MAIS DE UM MÊS QUE SAIU DAS MINHAS COSTAS O PESO DA
INJUSTIÇA NO PROCESSO DA MORTE DO MEU FILHO!
FIQUEI, DESDE ENTÃO, EM ESTADO DE GRAÇA!
NO DIA 26 DE AGOSTO, 10 DIAS APÓS O JULGAMENTO FOI MEU ANIVERSÁRIO E RECEBI UM PRESENTE INESPERADO E EMOCIONANTE FEITO PELO MEU CUNHADO FERNANDO!
ELE TINHA CONSEGUIDO FOTOGRAFAR COM O CELULAR O INSTANTE EM QUE O JUIZ LEU A SENTENÇA CONDENATÓRIA E COM ESSA FOTO FEZ UM QUADRO
DESSE MOMENTO ÚNICO PARA MIM!
ATRÁS DA FOTO ELE DESCREVEU A MINHA REAÇÃO COM UMA SENSIBILIDADE ÍMPAR, QUE TRANSCREVO ABAIXO!

A NOITE DA JUSTIÇA
No salão das esperanças perdidas, entrou a MULHER,
amparada por muletas que a ajudam carregar
todos os anos que passaram a espera da JUSTIÇA,
todos os olhares viram-se para ELA.
Muletas: ninguém percebe, percebem apenas o seu olhar,
olhar de esperança fixa na JUSTIÇA.
O jogo começa forte, pesado, deturpado,
ELA sai, não suporta...chora.
Horas se passam, a ansiedade toma conta de todos,
olhares se cruzam: raiva, desprezo, qualquer coisa....
Luta... a boa luta,
JUSTIÇA ELA quer, nós queremos.
Na tribuna, promotor versus advogados, luta desigual...
parece apenas parece.
ELA estava lá ao lado do promotor, na frente, atrás, por todos os lados.
As horas avançam, cansaço, medo, fome, bolachas.
Réplicas e tréplicas...a luta termina.
Juiz, jurados e as partes entram na sala secreta, porque secreta?
“A impunidade acontece em segredo?” .
ELA espera, reza, suspira, bolachas...
Minutos que representam todos os anos a espera da JUSTIÇA,
muitos anos condensados ali naqueles momentos.
O juiz entra no salão, sentença nas mãos, o tempo para...
ELA não sente mais nada, não ouve mais nada e em seu pensamento, apenas ELE.
A família de mãos dadas, silêncio...
O juiz fala, ela chora, cai, “Sublimação”...
ELA ergue seu rosto e seus olhos fitam o teto,
como se este não existisse, transpassa, ultrapassa com a esperança veloz de encontrar SEU rosto ali entre as estrelas e dizer-lhe:
“FILHO, vencemos... hoje na noite da JUSTIÇA... VENCEMOS”.

DIZEM QUE OS GRANDES ARTISTAS CONSEGUEM CAPTURAR A ESSÊNCIA
DE NOSSA ALMA!
ENTÃO O FERNANDO É UM DESSES SERES ILUMINADOS!
NADA, NADA MESMO, PODERÁ TIRAR DE MIM O EXTASE QUE SENTI NAQUELA HORA!
NAQUELE MOMENTO, MISSÃO CUMPRIDA, LIBERTEI MEU FILHO PARA QUE VOASSE DE ENCONTRO A LUZ!
DESDE ENTÃO SOUBE QUE ELE ESTÁ EM PAZ, PORQUE EU ESTOU EM PAZ!
MESMO LENDO A NOTÍCIA NO CRUZEIRO DO SUL, DE ONTEM!

PLANTÃO – 19/09/2007
Habeas Corpus liberta condenado de homicídio
Uma liminar de habeas cor­pus deferida pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Pau­lo (TJ) garantíu a liberdade a Cristian Marcus Toledo de Campos, condenado em agos­to a 8 anos de prisão em regi­me fechado por matar José Ge­raldo Ferreira Filho. O crime aconteceu há dez anos, no dia 12 de fevereiro de 1997. O júri considerou Cristian e Rafael Rodrígues Ramos culpados, em sessão realizada no Fórum de Sorocaba dia 16 de agosto e que durou 12 horas. Eles res­pondiam ao processo em liber­dade e pegaram pena igual. Rafael continua preso.
O desembargador Luiz An­tônio Fígueíredo Gonçalves, da 1 ª Câmara Criminal do TJ, de­feriu o habeas corpus pedido pela advogada do acusado. O argumento da defesa foi de que Cristian era réu primário, pos­sui residência fixa e bons ante­cedentes.
Com base na liminar que permitiu a liberdade de Crts­tían, o advogado de Rafael, so­licitou ao juiz da Vara de Exe­cuções Criminais de Sorocaba, José Eduardo Marcondes Ma­chado, que o beneficio fosse es­tendido ao seu cliente. No des­pacho em resposta, o juiz lem­brou que a liminar partiu do TJ, para onde o pedido tem que ser encaminhado.
Um dia após o júri, a irmã da vítima, Maria Carolina Fer­reira García, falou sobre o re­ceio de que Cristian e Rafael pudessem ficar livres, apesar de condenados pela Justiça. José Geraldo foi morto a golpes de trava de direção e facadas, no bairro Barcelona.

COMO “POLYANNA”, PENSEI:
PRESOS OU SOLTOS, O IMPORTANTE É QUE ELES FORAM CONDENADOS PELO ASSASSINATO DO MEU FILHO!
SEUS ROSTOS FORAM DIVULGADOS PELA TV!
HOJE TODOS SABEM QUEM SÃO ELES E PODEM SE PROTEGER AO ENCONTRÁ-LOS NUMA FESTA OU NUMA RUA QUALQUER.
SABEM DE SUA VIOLÊNCIA, DE SEUS INSTINTOS ASSASSINOS,
APESAR DA BOA APARÊNCIA, DE SEREM BRANCOS
E DAS MÁSCARAS DE BONS MENINOS!

ENTÃO DEUS ME PRESENTEOU COM A NOTÍCIA DE HOJE (20/09/2007) DO JORNAL CRUZEIRO DO SUL:
Ou é para todos, ou não é lei
“Um dos postulados fundamentais Ia ordem jurídica. o princípio da igualdade dos cidadãos na e perante lei, está sendo subvertido no Brasipor força da própria legislação.
A desigualdade é tanto ou ',mais perversa porque nem semprse ma­nífesta abertamente. no alcance oo vigor da punição. Emerge em mo­nentos posteriores. quando entram rm cena os recursos e apelações. ba­teados em toda uma teia jurídica lestinada a relativizar ou mesmo Ulular os preceitos legais.
isso explica que algm, considerado culpado de homicídio pelo júri e condenado a oito anos de reclusão em regime fechado, seja liberado apenas um mês depois pelo Tribunal de Justiça. como informa este jornal em sua edição de ontem r'Habeas corpus liberta condenado de homicídio". pág. A-4).
Não cabe aqui, deliberar novamente se o réu é culpado ou o, ou se merecia estar na cadeia. mas sim lembrar que ele teve um julgamento justo, e que lhe foi dada a possibilidade de se defender. Sopesando as evidências apresentadas, o júri não acatou a alegação de legítima defesa preferindo apenar o rapaz por matar um desafeto a facadas, durante uma briga de rua em 1997.
Vale lembrar, também, que o pedido de habeas corpus sequer tem a ver com a sentença, mas sim com a condição do sentenciado. Foi por acatar liminarmente a alegação de que o réu é primário, tem residência fixa e bons antecedentes que o TJ o liberou. Não por julgá-lo inocente.
O que dizer aos jovens que naturalmente já olham a sociedade e as instituições com descrédito e até desprezo, diante de tal liberação? Que lição um garoto de 10 ou 15 anos pode tirar de um caso como esse? O que se interporá entre a fúria de alguém e o objeto de sua agressividade, se a suposição de que as instituições atuam frouxamente se tornar uma certeza?
São questões que as forças ainda não totalmente entorpecidas da sociedade precisam tentar responder, antes que a ideia de que tudo é permitido, desde que se cumpram algumas exigências e se possa pagar um bom advogado, cristalize de vez na consciência das pessoas.
    Na outra ponta desse sistema sórdido estão as timas da violência, que clamam por justiça e se vêem duplamente vilipendiadas: uma vez ao serem espancadas, violentadas, roubadas, humilhadas, ou ao perderem seus filhos em assaltos; outra, ao verem os agressores escaparem à punição ou porque obtêm liberdade provisória e somem ou porque são ricos e podem apelar em todas as instâncias, nos TJs da vida?
     Dias atrás, as conseqüências dessas distorções desabaram sobre um casal de sorocabanos, marcando para sempre suas vidas: eles foram sequestrados e a moça acabou estuprada por um foragido da penitenciária de Bauru, que havia sido beneficiado com liberdade provisória no Dia das Mães.

Enquanto isso. no Congresso Nacional, as pessoas que poderiam mudar esse estado de coisas pisam na lei. sempre que seus interesses entram em jogo. Falam hipocritamente em colocar menores na cadeia, quando nem os adultos condenados são mantidos presos; pregam penas severas, mas aprovam distensões legais, destinadas a esvaziar os presídios. Nos assuntos internos. mandam às favas a moralidade e o compromisso ético com os cidadãos, ignorando condutas descabidas e quebras de decoro.
É preciso lembrar, porém, de maneira vigorosa. que a lei tem que ser para todos, pois, do contrário. não é lei. O Brasil precisa urgentemente optar entre viver no império da legalidade, eliminando as contradões que neutralizam a aplicação da lei, ou tornar-se uma república de bananas em que a lei não passa de um subterfúgio para esconder privilégios e disfarçar perseguições.”



NESTE PAÍS DAS IMPUNIDADES, BRINDAMOS:
QUANDO A PENA É PEQUENA, PORQUE HOUVE PENA!
CRIMINOSOS SOLTOS, PORQUE FORAM CONDENADOS!
POR UM, PELO MENOS, AINDA ESTAR PRESO, PORQUE NÃO PODE PAGAR PELO RECURSO?
PORQUE ACREDITAMOS QUE A JUSTIÇA DIVINA É MUITO MAIOR DO QUE A JUSTIÇA DOS HOMENS!
EU DISSE PARA OS MEUS FILHOS QUE A HERANÇA MAIOR QUE DEIXARIA A ELES SERIA A CORAGEM E A PERSISTÊNCIA!
VALE A PENA LUTAR QUANDO A CAUSA É JUSTA!
MUITAS VEZES TEMOS QUE GUERREAR PARA OBTER PAZ!
PORQUE PODE DEMORAR, MAS A VERDADE SEMPRE VEM COMO RECOMPENSA!
QUANDO O JULGAMENTO TERMINOU MINHA FAMÍLIA ME FEZ PROMETER QUE DALI PARA A FRENTE, EU PASSARIA A CUIDAR DE MIM, DA MINHA SAÚDE!
AINDA BEM QUE ENQUANTO ESTA GUERREIRA REPOUSA, EXISTEM PESSOAS QUERIDAS E IDEALISTAS QUE CONTINUAM NA BATALHA, INCONFORMADOS QUE SÃO COM AS INJUSTIÇAS E IMPUNIDADES DESTE NOSSO PAÍS!
O EDITORIAL DE HOJE DO JORNAL CRUZEIRO DO SUL, DEMONSTROU SER ESCRITO POR PESSOA DO MEIO JURÍDICO, O IMPORTANTE É QUE A MÍDIA ESTÁ DIVULGANDO E ALERTANDO A SOCIEDADE DO QUE OCORRE NO MEIO JUDICIAL!
E SÓ NÓS, O POVO, É QUE PODEMOS MUDAR ISSO!
LOUVO E AGRADEÇO A DEUS!
PELA FAMÍLIA ABENÇOADA QUE TENHO, PELOS AMIGOS MARAVILHOSOS E FIÉIS QUE ADQUIRI AO LONGO DA MINHA VIDA!
PELOS POUCOS, POREM DECISIVOS, REPRESENTANTES DO JUDICIÁRIO E DA MÍDIA SÁBIOS, HONESTOS E EMPENHADOS EM SUA PROFISSÃO, QUE “ELE” COLOCOU NO MEU CAMINHO!
POR PERMITIR QUE OS ANJOS E OS IRMÃOS ESPIRITUAIS ME ORIENTASSEM E ME DESSEM CONDIÇÕES FÍSICAS PARA AGUENTAR AQUELAS QUATORZE HORAS MAIS LONGAS DA MINHA VIDA!
ABRAÇOS E TODO MEU CARINHO,
CAROLINA FERREIRA - 20.09.2007.


DEPOIS DE TODOS ESSES DEPOIMENTOS VOCÊ DEVE ESTAR PENSANDO PORQUE ESTOU TÃO TRISTE AGORA...
Pois bem, dia 01/09/2011 às 13 horas, depois de exatamente 14 anos e sete meses do assassinato do meu filho e 04 anos da condenação de seus algozes, haverá NOVO TRIBUNAL DE JÚRI, pois eles conseguiram através de recursos que o primeiro Júri fosse anulado...
Eu disse que libertei meu filho e realmente o fiz, apesar da dor da saudade nunca me abandonar!
Prometi para minha família que seguiria com minha vida, e apesar das minhas limitações físicas era o que eu estava fazendo! Curtindo meus filhos e netos, fazendo trabalhos manuais que a minha condição permitia! Como, graças a Deus ainda estou lúcida e gosto de escrever, minha norinha fez um Blogger onde posso expor minhas crenças e me comunicar com grande parte de pessoas de quase todo nosso planeta.

Dia 26 de agosto completo 59 anos e nesse mesmo dia quem matou meu filho completa 36 anos!
Nossa legislação favorece os bandidos, os marginais, os foras da lei!
Sei que provavelmente eles continuarão soltos e sentindo-se mais poderosos que todos nós que respeitamos e amamos os outros seres humanos!
Desta vez, não tenho forças para enfrentar novamente a tortura de olhar para aqueles que tiraram a vida do meu filho e vê-los rirem ao me encarar, como fizeram da primeira, antes de saberem que seriam condenados.
Estou entregando esse crime nas mãos de Deus, pois sei que Ele fará justiça!
Peço encarecidamente, para que no dia 1º de Setembro às 13 horas, aqueles que puderem, façam uma corrente de oração pedindo a Deus que me liberte de tanta dor e inconformismo diante de tantos erros humanos.
Que Deus nos proteja, ilumine e abençoe.
Beijos, Carolina.