sábado, 29 de janeiro de 2011

HOMENAGEM - *SOFRIMENTO TEM DATA MARCADA?*



Está chegando novamente, dia 01 de fevereiro!

De 1967 até 1976, essa data e seu dia posterior sempre foram comemorados por mim com muita alegria!
Foi quando passei a me chamar Carolina Ferreira e no dia seguinte meu casamento foi abençoado por Deus!
Já em 01 de fevereiro 1977, quando completaríamos 10 anos de casamento, ela não era mais feliz!
O dia que deveria ser de festa e comemoração de uma década de consumação do nosso amor foi vivido com muitas lágrimas, porque o pai dos meus filhos havia ido morar com o Senhor há pouco mais de 04 meses!
Será que a culpa disso foi à inversão dos números: 1967 – 1976?
A vida seguiu seu rumo, criei meus filhos com muita luta, mão firme e com muito, muito amor!
Exatamente trinta anos depois que me casei sofri a pior perda de toda minha vida!
Meu primeiro filho, meu “José Geraldo Ferreira Filho” foi assassinado no 1º e enterrado no 2º dia de fevereiro de 1997.
Há 14 anos tento entender as coincidências e a importância de certo dia da folhinha, na vida de uma pessoa!
Será que “Sofrimento tem data marcada”?
Será que já sabíamos, assim como a Mãe de Deus, quando viemos neste mundo, que passaríamos por tanta dor e mesmo assim, aceitamos “encarar” isso tudo?
Sei que, infelizmente, não tenho a exclusividade de me sentir dilacerada com a morte de um filho, quantas passam por isso!!!
Agora mesmo uma pessoa próxima e querida está velando o seu de 19 anos!
E pior, quantas perdem todos seus filhos num só dia, como vimos recentemente na tragédia da região serrana do Rio de Janeiro?
Porque então meu coração continua a estufar dentro do meu peito, fazendo meu corpo se curvar com o peso do sofrimento, se já entendi que:
-“Deus sabe o que faz e nós é que não sabemos o que dizemos”!
Nossa Senhora, mãe do Filho de Deus, daí paz e consolação a todas as mães que enterraram, estão enterrando e ainda enterrarão seus filhos, como a Senhora o fez!
Daí todo seu amor e olhai aos filhos que deixaram mães desesperadas, chorando aqui nesta Terra!
Santa Mãe me perdoe por ser tão pequenina diante de Vós!
Meu filho perdoe também esta sua mãe pelo egoísmo de querer você aqui comigo, quando sei que está em braços bem melhores que os meus!
Quatorze anos ou quatorze meses ou quatorze dias ou quatorze horas ou quatorze minutos ou quatorze segundos... Casei aos quatorze anos...Quatorze é a metade dos dias de fevereiro...
O tempo passa, os números se repetem, mas o amor e a falta sentida é a mesma...
Amo você meu filho, assim como aos seus irmãos, sobrinhos e cunhados, como sempre e para sempre!
Carolina Ferreira
Simplesmente Mãe
29/01/2011.