sexta-feira, 8 de abril de 2011

HOMENAGEM - *DIAS DE SILÊNCIO*


* DIAS DE SILÊNCIO *
Há dois dias do ano, em que preciso ficar só e em silêncio!
Hoje é um deles. Meu filho mais velho faria 42 anos!
Hoje é dia de recordar a primeira vez em que fui mãe.
Hoje é dia de reviver a emoção de ver um filho gerado por nós, pela primeira vez!
Um ser gerado do amor... O amor de dois seres humanos materializado em gente!
A sensação de reconhecer os traços de duas pessoas tão diferentes estampados numa só pessoa!
E esses traços no início só físicos, com o decorrer dos anos, vão-se delineando em uma mistura de personalidades, com gostos e características próprias sim, mas onde podemos reconhecer a nós mesmos e o outro!
Enquanto pequenos, na grande maioria das vezes, até conseguimos proteger esse ser especial do mundo... das quedas... de engolir um objeto estranho...
Mas eles crescem e saem para ir a escola, as festas, aos encontros com amigos..
E eles ficam a mercê da violência, das loucuras deste planeta em que vivemos...
E eles podem ser assassinados... Podem morrer em um acidente!!!
Aquela vida que começou protegida em nosso útero, termina em tragédia inesperada, sem aviso prévio!!!
Seu filho sai de casa saudável e não volta mais...
Terminam os sonhos, os risos, as traquinagens e os cuidados com aquele ser...
Ele já está em mãos melhores que as suas! Está nas mãos de Deus.
E quem fica? Como sobrevive?
SOBREVIVE... sim porque a vida como dantes era vivida não existe mais.
E isso independe da "causa mortis", depende de perder um filho, um neto, um bisneto...
Nos primeiros dias achamos que não vamos resistir... A dor é indiscritível... A saudades maior ainda...
No início temos o apoio de parentes, amigos e até de pessoas que nunca vimos...
Mas com o passar do tempo a dor não tem mais escoras, a vida dos outros segue seu curso normal como deve ser!
Alguns, como eu fiz, disfarçam seu sofrimento indo em busca desesperada pela justiça dos homens, enquanto acreditam na justiça Divina!
E esquecem do próprio corpo, que acaba cobrando seu preço em dores e doenças que o incapacitam.
Gostaria que essas mães que perderam seus filhos ontem na chacina do Rio de Janeiro, soubessem que, embora agora achem impossível, DEVEM SOBREVIVER, seja por amor a outros filhos se os tiverem, ou a outras pessoas que delas necessitem, ou ainda por acreditarem que se Deus as manteve vivas neste mundo, mesmo depois dessa loucura, é porque assim deve ser.
Com certeza, mais dia menos dia, elas entenderão a vida de Nossa Senhora Mãe de Jesus!
Não há como explicar o inexplicável! Chorem, gritem, vivam seus lutos e depois aceitem com muita humildade o que Ele lhe sreservou.
Estamos todos aqui só de passagem, para aprendermos o que precisamos aprender.
Nunca percam sua FÉ num ente superior, seja qual for sua religião.
Eu não perdi a minha e até consigo ter momentos alegres e fazer outros felizes!
Acredito que um dia, se cumprirmos com amor e devoção o papel a nós destinados neste mundo,  estaremos com nossos filhos, ora arrancados de nós, novamente... e será a dádiva maior que Deus nos fará desfrutar.

FELIZ ANIVERSÁRIO, meu primogênito,
Esteja aonde estiver, receba o meu amor eterno!
DEUS LHE ABENÇÕE!!!

Carolina
08/04/2011